(41) 99208-8808

NOTÍCIAS E NOVIDADES

FIQUE POR DENTRO DAS NOVIDADES DA PSICOLOGIA

Traição: causa ou consequência?

Uma das primeiras perguntas que nos vem à cabeça quando sabemos de algum casal que rompeu o relacionamento é: “Mas porque separaram? Será que houve traição?”.

Assim, quando sabemos que de fato aconteceu uma traição, quase sempre ela é vista como a causa do rompimento. Porém, quero desafiar você a refletir sobre essa questão de forma mais ampla: Por qual motivo um dos membros do casal (ou os dois) permitiu se envolver com outra pessoa? Como estava aquele relacionamento?

As pesquisas mostram que é menos provável uma traição acontecer quando ambos estão satisfeitos consigo mesmos e com o relacionamento. Ou seja, onde há traição há problemas anteriores a ela! Quando falo em problemas não me refiro apenas àqueles casais já “andavam em pé de guerra” há muito tempo e que viviam em constante conflito. Muitas vezes, o conflito é velado e silencioso e o casal “sofre em silêncio”, fingindo que está tudo bem. Com frequência ouço relatos como: “Minha esposa e eu temos uma convivência agradável e não discutimos muito. Nossa vida sexual é boa, talvez já tenha sido melhor, mas não posso me queixar. Por isso não consigo entender porque estou me envolvendo com outra pessoa.”

Nesse caso, em primeiro lugar considero importante ressaltar que, o fato de não conseguirmos identificar um problema não quer dizer que ele não exista. Essa dificuldade é muito comum, principalmente em relacionamentos que já duram há bastante tempo. Muitas vezes quando começo a investigar um pouco melhor esse tipo de relacionamento identifico diversos problemas, como, interesses que antes eram iguais e agora são distintos, necessidades que foram mudando ao longo do tempo (de um ou dos dois), distanciamento entre o casal ocasionado por algum evento da vida, sem tentativas posteriores de reaproximação, falta de iniciativa (de um ou dos dois) para cuidar do relacionamento e preservá-lo, entre outros. A questão que está em jogo é “Porque outra pessoa se tornou mais interessante que seu cônjuge?”.

Então, não basta ter uma convivência agradável e evitar discussões. Um bom relacionamento é muito mais do que isso! Precisa ter companheirismo, confiança, cumplicidade, interesses, objetivos e valores em comum, compreensão, aceitação, perdão, intimidade, amizade, tolerância, carinho, admiração, respeito, entre outras coisas!!!! Quando outra pessoa se torna mais interessante é porque muito provavelmente algumas dessas coisas deixaram de existir!

Isso quer dizer que a “culpa” de uma traição (ou melhor, da existência de problemas no relacionamento) é dos dois? Não gosto muito de utilizar a palavra “culpa”, pois não acho que exista um culpado na história. O que existe são duas pessoas que de alguma maneira falharam na tarefa de se manterem unidas. Obviamente a responsabilidade de construir um relacionamento bom é de ambos. Mas uma coisa precisa ser levada em consideração: As coisas mudam com o tempo…as pessoas mudam com o tempo…os interesses mudam com o tempo…as necessidades mudam com o tempo…e nessas mudanças pode ser que o atual cônjuge simplesmente não se encaixe mais!!! As mudanças em um dos cônjuges podem ser motivo principal para que problemas apareçam nesse relacionamento.

Então, se a traição é apenas uma consequência que acontece em relacionamentos com problemas, isso quer dizer que serei traído (a) se eu tiver conflitos com meu cônjuge? Não! Todo relacionamento tem conflitos e problemas. O que fará a diferença nesses casos é a capacidade e habilidade do casal para lidar com esses problemas e, assim manter o relacionamento satisfatório para ambos.

Deixe seu comentário